Descrição

As Pedras Boroas da Landeira são uma geoforma granítica semelhante a uma boroa ou broa (pão de milho). Estas resultam da erosão diferencial que o granito sofreu, dando origem à formação de uma rede de fissuras poligonais nas partes da rocha mais erodida que, à vista desarmada, lembra a superfície de uma boroa, pelo que a rocha foi assim batizada. Na Landeira, a erosão rachou ao meio um bloco granítico formando duas metades e, nessas metades, formaram-se as boroas, uma mesmo ao lado da outra, quase a pedir por uma sardinha assada. A erosão que produz este curioso fenómeno resulta das grandes amplitudes térmicas que se fazem sentir neste local. As Pedras Boroas da Landeira localizam-se no vale da ribeira da Landeira, abruptamente desenhado na encosta da serra da Arada.

Vale da ribeira da Landeira e afluente
Víbora-cornuda

Património Cultural

Os monólitos graníticos abundantes nesta região multiplicam-se numa profusão de geoformas curiosas que marcam a paisagem. O vale da Landeira pôs em evidência a falha tectónica da Landeira, que rasga a serra da Arada no sentido N-S para se gizar numa reta quase perfeita. Na encosta esquerda da ribeira, a aldeia da Landeira empoleira-se lá no alto, desenhando um rendilhar de regadios alimentados pelas águas fartas destas paragens.

Pedra boroa com a forma de uma boroa inteira

Património Natural

O vale da Landeira, onde estão as pedras boroas, é um local selvagem e remoto, com bosques bem desenvolvidos, nos quais o lobo-ibérico,por vezes, se refugia. A aridez pedregosa do cimo da serra constitui habitat para espécies muito interessantes como o colorido melro-das-rochas, a víbora-cornuda ou a borboleta salta-cercas. Junto às linhas de água podemos encontrar o raro narciso-das-turfeiras e o hipericão-do-gerês.

Melro-das-rochas
Lobo-ibérico
Pedra boroa
Falha da Landeira
Pedras boroas em metades